segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

DEPENDE SÓ DE NÓS.

Picture_005_large 
Existem milhões de pessoas, que vivem, trabalham. Outras que relaxam e sobrevivem. Mas todas essas pessoas buscam a felicidade. Há menos casamentos e estes não chegam a durar nem dez anos, ou melhor dizendo, cinco. Há mais pessoas solitárias e menos grupos de pessoas, ou até mesmo, menos casais de namorados. Porém, mesmo assim, continuamos a busca por um amor. Ah, um amor que nos proporcionará a tal da felicidade que procuramos, ou apenas um amor que nos tirará da solidão. E por quê não achamos esse amor? Aliás, por quê nos equivocamos, achando que encontramos esse amor? Tudo isso acontece porquê buscamos isso desesperadamente. Colocamos encontrar a nossa cara metade como um dos objetivos principais e com isso, só por uma breve trocada de olhares ou uma conversinha, já escutamos ou falamos aquela frase (que na minha opinião já não surge tanto efeito) “Eu te amo”, e acabamos pondo em nossa cabeça que aquele é o amor que buscamos. Mas será que esse amor realmente existe? Não seria apenas uma ilusão, colocada em nossa mente quando liam aquelas histórias da Cinderela, da Branca de Neve, etc e tal? Sei lá. Estamos todos ligados pelo nosso lado inconsciente. Mas isso é da natureza humana; achar que ama ou achar que é amado. Porém quando isso realmente acontece, vai definir quem somos, pois encontrar a outra banda da maçã (eu sei que é laranja, mas eu mudo, pois sei que a maçã não é totalmente fechada) fará com que façamos coisas surpreendentes, coisas que vem do nosso interior, de dentro. Então começaremos a depender do outro para encontrar a felicidade que procurávamos e geralmente esse outro logo irá partir, nos deixando a mercê da solidão e nos colocando de volta a viver, trabalhar, sobreviver e buscar a felicidade (e as vezes, só com isso, vemos que a felicidade não dependerá do amor, do outro alguém, mas sim de nós. Dependerá daquilo que fazemos).

(Ana Karolyna)

Nenhum comentário:

Postar um comentário