sexta-feira, 19 de outubro de 2012

ENTRE ASPAS: — Alugue Felicidade

“Eu vou te esperar, mas somente por essa noite. Eu te esperei durante todos os dias. De segunda a segunda. Todos os meses, sem pular nenhum dia e nenhuma hora, mas agora é diferente, pois essa será a última noite. Eu vou te esperar, e quando você chegar em casa com a sua cara de “não-me-toque-estou-estressado” eu simplesmente vou sair pela porta. E, provavelmente, sua reação seja a mesma de sempre: ficar calado e sem reação. Eu vou sair pela porta, e será a última vez que me verá. Isso se o destino fizer a desgraça para com que eu esbarre com você na esquina da padaria. Você vai ficar calado, pois acha que eu vou voltar como sempre. Você acha que vou ali e logo logo volto. Você acha que eu vou dar uma volta, me acalmar e respirar um pouco, pois eu sempre me canso das suas atitudes e de toda a sua completa e, somente, estupidez. Você acha que eu irei até a esquina, parar e pensar: “Não, o que eu estou fazendo? É ele que eu amo”, e depois disso, voltar pra sua completa e, somente, estupidez. Você irá ficar sem reação e não vai me impedir de nada, pois tu sempre foi esse menino frouxo e sem atitudes. Você irá ficar sem reação, pois acha que pela milésima vez, eu irei voltar. Você irá ficar em pé do lado da mesa que fica no centro da sala. Irá jogar a chave do carro na mesa e simplesmente me olhará saindo. Você não irá dizer nada. Não irá gritar, não irá se emburrecer, não irá implorar pela minha permanência, não irá chorar, não demonstrará coisa nenhuma. Porque você sempre foi, e sempre será essa casca dura e grossa, mas que no fundo, necessita de mim como uma criança necessita de uma mãe. Você não esboçará nenhuma reação, pois sempre esteve com a completa e sã consciência de que eu voltaria. Tá certo que eu sempre fui sua devota, mas de tantas noites consecutivas te esperando, uma hora hei de me cansar. Tá certo que eu suportei coisas piores, mas meu destino não está destinado a isso. Digo, não a você. Eu, sem dúvida alguma, mereço coisa melhor. Porque tu não passa de um completo, e somente, idiota. Você irá me ver sair, e imaginar mil coisas depois disso. Irá imaginar que tem mil e uma mulheres te esperando naquele bar mixuruca que você frequenta. Você irá imaginar as inúmeras mulheres que te querem, mas tu não se contentará com nenhuma, além de mim. Você lembrará de todas as coisas que um dia eu fiz por você e, finalmente notará que aquelas biscastes nunca farão ou fariam o mesmo. Algumas delas podem até te acompanhar numa pinga ou em uma estádio de futebol, mas nenhuma irá se dispor a lavar suas cuecas imundas e fedidas. Passará mil e uma coisas na sua cabeça. Tu imaginará tudo, menos a minha completa deixa. Eu vou te olhar de canto, só pra ver se nos últimos minutos você demonstra ou grita: “NÃO! Fica, por favor.”. Mas será uma pena, pois você nunca surpreende. Eu irei te esperar, mas somente por essa noite. Quando tu chegar com a sua cara de “espera-só-um-pouco”, eu irei dizer adeus, e tu, pela centésima vez, vai achar que é brincadeira, pois tu nunca levou nada a sério. E eu irei passar na sua casa, quem sabe daqui alguns anos e perceberei que tu ainda não me esqueceu, porque aquela nossa foto no parque de diversões ainda está lá, do ladinho da sua cama. E você, pela primeira vez na vida se lamentará de não ter feito nada. Porém, sinto muito. Graças a minha sanidade, percebi a tempo que você não passa de um completo e, somente, idiota.”


- Por Ana Karolyna... Autor - Desconhecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário