sábado, 26 de novembro de 2011

Coração da gente

 

- Alô, menino? Sim, é contigo mesmo que quero falar - fazer, realizar qualquer coisa com os teus braços junto aos teus braços. Deixe-me continuar falar, amar, recitar minhas poesias, realizar todas as minhas fantasias - quero agora que você seja testemunha de todas as agonias que teu amor me faz (então pare um minuto, largue já o que está a fazer, e venha me escutar)! Só quero que tu saibas nesta segunda de todas as minhas loucuras quando você me pega na nuca, com os lábios me rouba a alma e faz com minha alma toda sinta-se desejada, ah, deixe-me continuar! Ô meu menino, quero me encher de ti mais um pouquinho, posso?  Precisa falar mais nada não,  deixa que eu continuo a falar um pouquinho mais destes nossos segredos, deste nosso amor indecente, não, não, fique tranquilo, não preciso que fales nem um outro isto ou aquilo, que a outra era mais bonita, que a vida estava vazia - estou te perdoando agora por todos os teus abandonos, todas as tuas faltas, todas as vezes que você me levantou a mão, de todas as vezes que tu me roubaste o chão. Não adianta ficar remoendo estas coisas tolas, ficar negando todas estas coisas - que será que será, você sempre será menino, sempre será - tu és o maior dos maiores, o amor que me encheu de sortes, o eterno encontro do bar, o moço das alquimias, o que me enche diariamente de magia, das fantasias… O menino das horas contadas, aquele que me fazia esquecer das pessoas chatas, aquele que de mim tirava as dores. Você, ele, aquele sempre será, a promessa mais bonita, o tal ser que me ilumina. Por que os silêncios, por que emudeceste detrás dessa linha menino? Acredito, não é somente você que está se tornando testemunha do bem que só você me faz. Da professora a vizinha, até quem está aqui e chegou até aqui, também se surpreendeu (então, agora, com licença, vamos acabar logo esta ligação, com o texto, vamos parar logo de nadar na contramão). Já está na hora do beijo, onde eu ligo o telefone, e mais uma vez te desejo, te abraço, quente e longe. Então aproveita, aproveita que já falei tudo, desliga logo isto e vêm, vêm logo. Vêm, deixa logo de ser sozinho, vêm ficar deste outro lado da linha comigo. Vêm voar comigo todos os dias, todos os dias… Vêm.
Igor Lopez.
Coração da gente tem capacidade de se prender, mas também tem se desprender. Coração da gente também rala, mas também renasce, cresce, se consome em novas paixões. Coração da gente tem capacidade de se doer, mas também a capacidade se perder, perder aquilo que não faz bem ao próprio coração. Coração da gente também sabe dançar, sabe se entregar a braços, sabe bater junto com outros compassos. Coração da gente também além de chorar, também sabe rir, sorrir, relembrar as coisas bonitas que você esqueceu de reencontrar. Coração da gente guarda as santas mães, os santos amigos e as amigas, todas as promessas bonitas de reveillón, termino de namoro, champagne, bebedeira, momentos de frisson. Coração da gente também sabe quando é o momento certo, quando encontramos a moça bonita, coração da gente também sabe, quando rir da vida. Coração da gente só precisa de outro coração, de um agarrado, de um compasso bonito, de uma batida bonita de dança, pra continuar a ser coração, em vez de ser navalha, ir na contramão. Coração da gente só precisa de uma boa batida de violão. Coração da gente só precisa andar de bicicleta, acreditar que ainda pode continuar, pra nos mostrar que ainda existe um tal motivo, outra bonita razão. Coração da gente só precisa de felicidade, pra continuar a ser assim, para ir além das veias, para ir além das secas, coração da gente só precisa de um motivo pra continuar batendo, assim, cheios de vontades, cheio de paixão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário