segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

mas foi quando eu passei em frente sua casa.


Esses dias eu passei em frente a sua casa, uma onda de nostalgia me atingiu. Junto com ela veio a saudade. Era tão bom pertencer a você, acreditar que cada passo que eu desse ia ser do teu lado, escutar sua voz me acordando no meio da noite, passar as manhas, tardes, noites e madrugadas conversando com você, somente com você, fazer planos pro futuro, escolher os nomes dos nossos filhos. Era tudo tão perfeito, tão bom, mas você me mando embora. Eu não queria ir de jeito nenhum, eu queria ficar, insistir a você para não me abandonar, mas tudo que eu fiz foi fazer exatamente o que você falou: ir embora. O primeiro lugar o qual eu fui foi um bar de esquina, perto da aonde seria a nossa casa. Me lembro apenas de ter pedido uma vodka, e no dia seguinte acordar na porta da tua casa e sair correndo dali o mais rápido possível. E assim foi sendo sem você. Eu fujia de tudo, me isolava, aprendi a beber, a fumar e a sair com qualquer cara que eu achasse diferente de você. Eu não sabia mais o que era tempo, pois você roubou o meu. Eu não escutava mais minhas músicas favoritas, pois todas me lembravam você. Eu não via mais nenhuma série, pois não importando qual fosse o gênero o casal me lembrava a gente. E assim se passaram dias. Talvez meses, quem sabe anos. Eu não fazia idéia de quanto tempo já havia passado, pois o calendário estava amassado e o meu relógio eu joguei no mar junto com meu celular. Eu continuei caminhando sem saber qual lugar ir, arranjei um emprego novo, comprei a casa que era pra ser nossa e comecei a sair com um cara, que por sinal é muito lindo e educado, e não se parece nenhum um pouco com você. Foi então que eu vi que eu iria suportar viver sem você, 


Créditos a : 09.05

Nenhum comentário:

Postar um comentário