segunda-feira, 15 de abril de 2013

ENTRE ASPAS: CASOS E ACASOS DO AMOR.

“Mas no fim você volta. Você sempre volta. Mesmo depois de uma daquelas nossas brigas feias que ficamos sem nos falar por dias, semanas ou até meses, quem sabe. Mesmo depois de você ter se encontrado com todas as mulheres desse mundo dizendo que dessa vez, com elas dariam certo. Mesmo quando a sua vida se ajeita e finalmente tudo se encontra no lugar. Mesmo depois de dizer que nunca mais voltaria. Só que você volta. Volta e ainda diz que tá com saudade, que sente falta, que não sabe viver sem. Agora me diz, que espécie de pessoa deixa eu colocar a minha vida no lugar, e depois volta pra deixar tudo pelo avesso? Que espécie de pessoa me deixa conhecer os melhores caras desse mundo, e depois volta só pra me mostrar que ninguém é melhor que você? Que espécie de pessoa que vive bem comigo, sem migo, e depois volta pra lembrar a falta que me faz? ASSUMO, NÓS NÃO TEMOS MAIS JEITO. Você não tem jeito porque sempre volta, e eu não tenho jeito porque sempre deixo a porta aberta.” 

- Autor Desconhecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário