segunda-feira, 26 de setembro de 2011

o medo que sinto agora.


Todos os medos se acabam, todos os sonhos se realizam, todas as brigam se resolvem, talvez em um outro universo. Você por instantes imagina que há sentimentos em seu coração mas ele continua sendo um sensível aparelho que lhe  Mantém viva, sem o ar e sem a água você seria nada, apenas ou totalmente nada. Não existe esperança, não existe volta e nem um fim menos doloroso, não existe nenhum deus que vai te salvar de ser você, sua boca fala por você enquanto seu cérebro processa os atos ignorantes que irá fazer nos próximos segundos. Descontando sua raiva nas cordas de uma guitarra, brigando com seu interior ou com uma força maior, brigando pelas coisas que não deram certo e que provavelmente não darão certo. Mas pensar assim é perda de tempo, pessimismo só piora a situação ruim, sempre haverá uma maneira, sempre haverá uma saída, sempre haverá uma alternativa que te faça mudar de idéia ou que te faça ver que o mundo pode ser diferente se as pessoas forem diferentes. A morte, a mente ou a mudança são três escolhas que se pode fazer para acabar com o apocalipse emocional que sinto agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário