segunda-feira, 15 de outubro de 2012

INDECIFRÁVEL

Me da medo, me da raiva, me da enjoou , me da angustia , a forma de como você se prende e não demostra nada, não demostra medo, dor, angustia nem seus pensamentos, a única coisa que saí de você é ódio e um amor meio louco como você... Não sei se foi seu passado quem fez isso com você, suas dores, não sei não consigo te decifrar isso me deixa louca, me da dor de cabeça, é exatamente por isso que tenho reclamado tanto de dor de cabeça, tentando decifrar, seus olhares, seus pensamentos, sua emoções, mais isso é quase impossível e eu não sei as vezes como agir por isso! Eu deito a noite em minha cama, e fico pensando será que seu passado que faz você se prender tanto assim ? O que aconteceu ? Converse comigo, não vou lhe julgar! É não estou sendo boa pra falar isso, venho lhe julgado bastante pelo seus erros, que infelizmente não saem da minha mente e ficam me atormentando não me deixando viver, desculpas, irei esquecer com todas as forças eu faço isso. Isso me prende também, mais não tanto, eu me prendi mais de uns tempo pra cá, mais não consigo me prender como você. Isso é ruim sabia pra você mesmo  e pra mim, você não fala, e não demostra e vai ficando ai dentro e quando explode só estraga as coisas, eu queria ser assim, mais não consigo, não sei fazer isso e já tentei várias e várias vezes. Me pergunto porque de você ser assim, e tudo que me responde que um dia eu saberei o porque, e fico com essa duvida indecifrável circulando em minha mente até o sono chegar... E quando acordo, os mesmos pensamentos sobre você indecifráveis de serem resolvidos... E isso me atormenta um tanto que acabo ficando maluca e pirando do nada, e anoite chega com os mesmo pensamentos indecifráveis, e eu peço para que o tempo ande logo e talvez até corra, para que um dia eu possar saber, o porque de você ser um ser tão trancando em si. Medo do mundo ? Medo de si ? Medo de mim ? Medo de julga-lo ? Medo, ódio de que ? ... Ta vendo estou pirando de novo tentando decifra-lo... A noite cai outra vez, e continuo tanto decifrar algo que já sei que não é decifrável. ...
 Fim, da noite sono chega e os pensamentos indecifráveis ficam indecifráveis.

(Ana Karolyna)

Nenhum comentário:

Postar um comentário