sexta-feira, 18 de maio de 2012

Tudo embaralhado.


Mas eu me pergunto se é possível não reconhecer o que estou sentindo. Meus pensamentos tão embaraçados, embrulhados, um nó de sentimentos sem fim. Não estou me reconhecendo, o que eu sou e o que eu era, já não está mais possível de se ver. O problema é que parece que as pessoas complicam tudo, mas ainda acho que o problema sou eu, não consigo, simplesmente não consigo achar a chave dessas respostas, será que tudo tem que ser tão complicado assim? Estar feliz por uma pessoa mais ao mesmo tempo triste pelo o seu lado da história, mas tem que ser sempre assim, eu me ferrar, fingir estar bem e ficar calada, no meu canto sofrendo, comigo mesma e com meus sentimentos, meus dolorosos sentimentos. Eu mudei muito, e agora não estou conseguindo mais ser desse jeito, “tomar na cabeça” não dá mais, estou começando a me permitir e por em prática as minhas ideias. Só isso, eu não quero dar chances para outra pessoa e só sair machucada. Cansei de ser boazinha com todo mundo e sempre me ferrar, não quero tomar uma decisão por impulso porque todos estão me pressionando, preciso de um tempo, todos precisam, quero ver o que realmente quero fazer e não sair fazendo o que querem que eu faça. Estou ao meu limite, impossibilitada de opções com as pessoas, e eu não vou baixar a cabeça, pode ter certeza. Eu não sou nenhuma idiota, se eu quero, eu corro atrás, aprenda só aprenda, menina boas choram até se tornarem frias.




(Noites-Frias.) - Por Ana Karolyna

Nenhum comentário:

Postar um comentário