sábado, 22 de outubro de 2011

Pequeno-grande-bilhete-pra-uma-antiga-paixão-um-tanto-recente-que-ainda-não-foi-embora.




 Eu e você. Você e eu. Estávamos a centímetros de nos tornamos “nós”. O que aconteceu? Onde tudo começou a dar errado? Foi naquela noite que eu saí sem avisar? Foi naquela tarde de sábado que eu simplesmente não quis falar contigo? Ou foi no dia em que tu cansou de me ver querendo outras? Todos aqueles mínimos detalhes da nossa antiga vida ficam passando e passando na minha mente e machucando meu coração o dia inteiro… 26 horas por dia. Tudo o que eu queria era uma nova chance… Eu juro que iria fazer a coisa certa. A gente poderia se conhecer de novo e eu iria pedir pra tu ser minha antes mesmo das perguntas básicas de um começo de conversa. Tomar as atitudes que não tomei antes. Fazer você cem porcento feliz. Ser teu por completo. Eu sei que tu quer viver comigo outra vez. Eu sei que tu ainda vai naquele apartamento perto da praia que a gente se encontrava escondido dos seus pais. Eu sei que tu olha pros casais nas ruas e pensa em mim. Eu sei que tu sonha comigo, sei que tu tenta me mandar alguma mensagem ou e-mail mas simplesmente não manda por medo e também sei que tu já escreveu milhares de textos enormes mas apagou todos e só escreveu “Sinto sua falta, amor”. Eu sei que tu nunca quis ir embora e só foi porque eu realmente te obriguei. Eu sei que tu derrama várias lágrimas quando lê uma mensagem minha ou alguma de nossas conversas antigas e fica paralisada quando vê na tela do teu celular que eu to te ligando bêbado outra vez. Também te juro que não te ligo por mal, todos os meus amigos tentam me controlar e me acalmar, mas eu não consigo parar de pensar em você. Tu sabe que eu fico quebrado quando o assunto é você… E eu tô cansado de ter que recorrer às minhas ex’s e ao álcool pra te tirar da minha cabeça - nem que seja por três horas - quando no meu coração só há você. E eu não quero mais ter que te tirar da minha cabeça muito menos da minha vida. Quero você comigo… só mais uma vez, nem que seja por um dia. Porque, amor, eu não consigo mais passar uma noite pensando em como vai ser quando eu não estiver mais presente na tua cabeça muito menos no teu coração, quando o meu nome for só mais um qualquer pra você, quando as nossas coisas não tiverem mais os mesmos significados, quando não tivermos mais nada pra conversar e só existir o silêncio. Será que você consegue entender? Então, amor, me fala se você vai voltar pra eu deixar a chave embaixo do tapete, a luz do corredor acesa e a cama arrumada; pra eu colocar teu seriado favorito na TV, pra eu pedir tua comida favorita, pra eu colocar mais um prato na mesa, pra eu colocar minhas roupas pra lavar e pra eu comprar o ingresso do jogo do teu time próximo domingo. Volta que vai ser como se tu nunca tivesse ido embora. 
Do-seu-antigo-amor-não-tão-antigo-assim-que-foi-embora-muito-antes-de-ter-chegado.




(Ana Karolyna)

Nenhum comentário:

Postar um comentário