terça-feira, 14 de junho de 2011

sua falsidade !



Lá estava eu, no canto escuro do meu quarto. Pensava comigo mesma: Para que toda essa falsidade? Todos esses sorrisos forçados e todas essas palavras que passam por certas bocas sem nem terem sido aprovadas pelo coração?

   Nada do que os outros falavam era real, eles me fizeram acreditar em um mundo em que apenas eu sofria, em que apenas eu era a culpada. Procurei em várias cantos as respostas certas para todas as minhas perguntas. Frustante saber que nenhuma delas foram respondidas corretamente. Mas afinal, o que é mesmo a falsidade? Seria o seu sorriso ou sua palavras? Ou seria você por completo?    

Como você consegue ser tão intenso com um coração tão vazio? Como consegue ser tão verdadeiro sendo que é falso? Eu nunca sei se você está sorrindo pra mim ou de mim. Eu não sei como decifrar você, se é que é decifravél, se é que há algo para decifrar, ou a verdade está tão exposta em você que ás vezes é obvia de mais?

   Eu não não sei, e eu já desisto de tentar. Esperar por você é como esperar por chuva nessa seca. Por favor, me deixe aqui, neste canto escuro. Vou me sentir mais segura, mais sã. Pelo menos uma vez na vida serei eu mesma, sem máscaras, sem arrependimento algum. Agora que vejo você de longe, indo embora, conto seus passos, apenas para ter certeza que você está indo para nunca mais voltar. Eu só não sei como algo tão vazio conseguiu me machucar tão profundamente. Mas está bem, sigo em frente. Você também... Por favor, não se lembre que fui feliz alguma vez na vida junto a ti. Nunca se lembre de meu sorriso ao ver você feliz, lembre-se do mal que você causou apenas para o seu bem. Além de se sentir culpado vai sentir a falta que faço. Um buraco, é isso que você leva no lugar de seu - e de meu- coração. O mal que você me fez te fará feliz, te fará continuar a sorrir, sinceramente, pela primeira vez seu sorriso será sincero e por uma vez por minha causa.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário